Publicado por: ferdesigner | 27/04/2016

Bambu para toda obra

bambu-ecod.jpg

Só no Acre, os tabocais recobrem 38% de todo o território
Foto: #Sanxo#/Flickr/(cc)

Para muitos agricultores brasileiros, deparar-se com uma moita de bambu no seu terreno costuma ser má notícia. A planta da subfamília Bambusoideae é conhecida pela capacidade de se espalhar rapidamente, assim como por sua resistência ao roçado.

Mas é possível que, nos próximos anos, a má-fama dê lugar a uma imagem favorável. É que estudos sobre o uso comercial do bambu estão se multiplicando no mundo todo. É o caso das pesquisas desenvolvidas pela professora Juliana Cortez Barbosa, da Unesp (Universidade Estadual Paulista).

Juliana acaba de receber a patente para um método que aproveita o bambu para reforçar placas feitas de outras madeiras, o que permite seu uso para fazer pisos e móveis.

Painéis EGP com bambu
A pesquisa permitiu a produção de um compósito – um material feito a partir da combinação de diferentes elementos – que alia o bambu à madeira reflorestada de pinus.

O pinus é abundante e comumente usado na confecção de painéis do tipo EGP (Edge Glued Panel). Também conhecido como painel de colagem lateral ou painel de sarrafo, o EGP é feito de lâminas coladas lateralmente, e bastante utilizado em projetos arquitetônicos e na fabricação de móveis.

O pinus tem pouquíssima resistência mecânica, mas os testes mostraram o poder da sua combinação com o bambu.

“Os resultados mostraram que a resistência mecânica do EGP cresceu entre 100% e 200%,” conta Juliana. Também houve uma grande melhoria na propriedade conhecida como rigidez superficial: dos cerca de 50 g/cm2 que são comumente encontrados no pinus, chegou-se a cerca de 90 g/cm2.

Em países como a China e a Colômbia, erguem-se casas e até edifícios de vários andares usando o bambu na estrutura

Só para comparar, a densidade obtida pela dupla pinus-bambu é semelhante àquela encontrada em madeiras de lei como a tatajuba e a garapa, utilizadas em marcenarias, na construção naval e na fabricação de itens de construção civil como vigas, caibros e assoalhos.

O segredo para tamanha solidez é a proporção entre pinus e bambu. “Na verdade o compósito patenteado é quase todo de bambu”, diz Juliana. “Só que uma parte dele está em lâminas, e outra é feita de material particulado.”

Pisos de bambu
Hoje, já existem pisos de bambu disponíveis no mercado brasileiro. São tão valorizados por sua beleza e resistência que custam até R$ 250 por m2, e são importados.

O que não deixa de ser paradoxal, uma vez que no sudoeste da Amazônia existem 160 mil km2 de florestas conhecidas como tabocais, onde a ocorrência da planta é grande. Só no Acre, os tabocais recobrem 38% de todo o território.

Em países como a China e a Colômbia, erguem-se casas e até edifícios de vários andares usando o bambu na estrutura. Mas o Brasil ainda carece até mesmo de maquinário especializado para lidar com o bambu.

“Não há oferta comercial de máquinas. As duas que usamos na universidade foram produzidas especialmente para nossos projetos,” conta Juliana, acrescentando que o ideal seria também contar com plantios específicos, que forneçam bambu apenas para atividade econômica.

(Via Inovação Tecnológica, com informações da Unesp)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: