Publicado por: ferdesigner | 08/01/2015

Alckmin afirma que pode tornar nova lei ambiental mais rigorosa

Governador diz que regulamentação de projeto aprovado na Assembleia pode preservar rios e lagos

Tucano nega menor proteção de matas e diz que fará esforço para desmatamento ser compensado em SP

DE SÃO PAULO

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) defendeu nesta quinta (11) uma lei ambiental aprovada na Assembleia Legislativa e negou que ela possa afrouxar a proteção de matas em São Paulo.

O tucano disse que poderá regulamentar a proposta deixando as regras mais rigorosas e favorecendo a preservação ao redor de rios e lagos.

O chamado Código Florestal paulista foi aprovado na quarta (10) sob a crítica de ambientalistas, para quem ele deve ampliar a retirada de vegetação, podendo ser um agravante à crise hídrica –áreas desmatadas têm menos capacidade de armazenar água.

O projeto prevê que produtores possam compensar a área que desmatarem em São Paulo por meio de um reflorestamento fora do Estado.

Também permite a ocupação a 15 metros da nascente de rios, em vez da diretriz geral de 50 metros prevista no Código Florestal federal.

Já em relação às margens de represas/rios, são mantidas as regras nacionais –que admitem uma faixa de 5 metros de vegetação no entorno do leito de água, a depender do tamanho do terreno.

Para Malu Ribeiro, da ONG SOS Mata Atlântica, a questão das nascentes, ainda mais em tempos de crise hídrica, é um problema grave da lei.

CONTRAMÃO

Ricardo Ribeiro Rodrigues, professor titular de Botânica da Esalq/USP, diz que a possibilidade da regeneração florestal ocorrer em outro Estado também é uma falha.

“O texto vai na contramão da maioria dos Estados, que têm fechado a compensação de áreas protegidas dentro dos seus limites”, afirma.

Segundo Rodrigues, da forma como está, é possível a “exportação” de florestas, pois permite que as reservas devidas principalmente por grandes imóveis sejam compensadas fora de São Paulo.

O botânico afirma que, como é mais barato replantar florestas fora de São Paulo do que dentro, as matas “mais caras” tendem a ficar totalmente desprotegidas.

Alckmin afirmou que todos os esforços do governo serão para que as matas sejam recuperadas dentro do Estado.

Ele lembrou que, pelo texto, a regeneração pode ser feita fora, mas dentro do mesmo bioma. “As matas do sul de Minas são importantes para São Paulo, porque usamos água de lá”, disse.

O projeto aprovado pela Assembleia é de autoria do deputado Barros Munhoz (PSDB). Segundo ele, foram acolhidas sugestões apresentadas em dezenas de reuniões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: